sábado, 19 de agosto de 2017

Evento! 10ª Festa Nipo Brasileira de Salto (SP)


Evento! 17º Melodias Imortais ~Nipponjin no Kokoro no Uta~(SP)


Neste domingo, 20, a partir das 10 horas, o Grande Auditório do Bunkyo (Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), no bairro da Liberdade, em São Paulo, estará recebendo um dos eventos mais tradicionais da comunidade nipo-brasileira. Trata-se do Melodias Imortais – canções que tocam na alma japonesa – que este ano chega a sua 17ª edição com a participação de 73 cantores.

Destaques para os gêmeos Laura e Cauan Yoshinari. Laura, por sinal, foi a campeã da categoria Tibiko “B” do 32º Concurso Brasileiro de Canção Japonesa, realizado pela Abrac (Associação Brasileiro de Canção), em julho, na Associação Cultural Suzanense. Também chama a atenção Amélia Anzai e Mizue Yamaguti, que participam do evento desde a sua primeira edição.

Estarão se apresentando ainda nomes como Sakae Kamiya, Sergio Tanigawa, Pedro Mizutani, Rafael Yasunaga, Satiko Ono, Yukie Kakinoki, Mary Furuguen, Kazuko Kawai, Paula Hirama, Cíntia Anraku, Karen Taira e Edna Nishiya, além de três grupos. No intervalo, haverá participação especial de balé clássico com Giovana Funatsu.

“É um evento que vem sendo mantido graças a participação e colaboração de todos”, diz a apresentadora e membro da Comissão Organizadora, Lúcia Ikawa, lembrando que parte da renda será revertida em prol da Assistência Social Dom José Gaspar “Ikoi-no-Sono”, entidade cujo objetivo é prestar assistência social, moral e material às pessoas necessitadas.

Público diferente – Este, talvez, seja o grande “charme” do Melodias Imortais. “É um evento que todos os cantores fazem questão de participar”, explica Lúcia Etsuko Ikawa. Segundo ela, o público que costuma prestigiar o Melodias Imortais também é “diferente” daqueles que frequentam taikais. “Quem vai assistir o Melodias Imortais vai para ouvir e, muitas vezes, para chorar”, explica a apresentadora, acrescentando que este ano o Melodias Imortais será dedicado às canções inesquecíveis da era showa.

E o responsável por fazer o público chegar às lágrimas é o também apresentador Koji Miti, a própria “alma do Melodias Imortais”. Koji Miti, assim como Lúcia Ikawa, se tornou personagem essencial com suas intervenções e explicações. É ele quem tem a missão de pesquisar e transmitir os sentimentos de cada música à platéia, que costuma lotar o Grande Auditório do Bunkyo.

Emoções que ficam ainda mais “à flor da pele” com a exibição de imagens projetadas no telão. “Cada música tem uma peculiaridade e, conforme a letra pede, exibimos imagens no telão”, diz Miti.

Nova geração – Para Lúcia, apesar de todo o clima saudosista, o Melodias também está conquistando um espaço cada vez maior entre os jovens. Não só em termos de público como também entre os cantores. “De uns anos para cá temos notado, sem dúvida, uma procura muito grande de cantores mais jovens”, diz Lúcia Ikawa, lembrando que outro diferencial do Melodias Imortais é o acompanhamento do Grupo The Friends, formado por 15 músicos sob o comando do professor Tadao Ebihara.

O Melodias Imortais é uma realização do Grupo The Friends com apoio da Fundação Kunito Miyasaka, Bistrô Kazu (que estará atendendo o público com deliciosos obentôs) e Cris Metal.

Fonte: http://www.portalnikkei.com.br/musica-17o-melodias-imortais-reunira-mais-de-70-cantores-no-bunkyo/#.WZTxBLPjjIk.facebook

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Evento! 15º Okinawa Festival (SP)



A comunidade nikkei – em especial a okinawana – e os moradores da zona Leste de São Paulo, já estão em contagem regressiva para um dos eventos mais aguardados do ano. Trata-se do Okinawa Festival, que este ano chega a sua 15ª edição nos dias 19 e 20 de agosto, no Centro Educacional e Esportivo Vicente Ítalo Feola, na Vila Manchester. O evento reúne o melhor da cultura okinawana. Danças típicas (com a participação das maiores academias de dança folclórica okinawana do país), mais de 600 tocadores de taiko (com destaque para os grupos Requios Gueinou Doukoukai Eisa Taiko e Ryukyu Koku Matsuri Daiko, que costumam lançar suas novas coreografias no festival) e mais de 400 atletas de karatê – em especial das academias comandadas pelos senseis Flavio Vicente de Souza e Yasunori Yonamine. No total, serão mais de 2 mil pessoas envolvidas, entre artistas e atletas.

Destaque ainda para a preocupação social da Comissão Organizadora, que este ano é coordenada por Mauro Kiyoshi Yonamine. O evento é gratuito, mas solicita-se a contribuição de um quilo de alimento não perecível que serão doadas para 11 entidades assistenciais, entre elas o Centro de Ação Social Enkyo – Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (unidade Amami), Sociedade Beneficente Casa da Esperança “Kibô-no-Iê”, Associação Pró-Excepcionais Kodomo-no-Sono e Assistência Social Dom José Gaspar Ikoi-no-Sono. Também serão beneficiadas: Lar da Infância de Nice, Lar Mãos Estendidas, Casa da Infância Clara Nunes, São Sebastião Pro + Vida, La r da Criança Ninho de Paz, Benção de Paz, Associação Beneficente Lar dos Idosos de Miracatu e Futurong – Ação Social Cultural.

Layout – Segundo Takeyoshi Teruya, presidente da Associação Okinawa Vila Carrão, associação responsável pela realização do Okinawa Festival – em conjunto com a Associação Okinawa Kenjin do Brasil e Centro Cultural Okinawa do Brasil – no ano passado foram arrecadados cerca de 15 toneladas de produtos. Para este ano, a expectativa é pelo menos repetir esse número pois são aguardados mais de 10 mil visitantes nos dois dias de programação.

Apesar de ser o primeiro ano como coordenador da Comissão Organizadora, Mauro Yonamine explica que já está familiarizado com a estrutrura do evento. “Não teremos problemas porque sempre estive na retaguarda e, além disso, contamos com uma equipe bem entrosada”, conta Yonamine.

De acordo com o membro da Comissão, Terio Uehara, outra preocupação é sempre estar aprimorando e aperfeiçoando não só a programação como também a própria estrutura com o intuito de oferecer conforto, comodidade e segurança aos visitantes. “No ano passado, tivemos uma primeira experiência com o novo layout, usando também o campo para as apresentações de taiko e artes marciais”, lembra Tério, explicando que a mudança ocorreu por conta da instalação da grama sintética no campo principal. Assim, o palco principal e as barracas de alimentação ganharam uma nova disposição.

Gastronomia – Na gastronomia, aliás, serão mais de 100 barracas de alimentação oferecendo uma grande variedade de pratos típicos da província de Okinawa como o Okinawa Sobá, hijá nu shiru (sopa de cabrito), ashitebiti (joelho de porco) e o famoso saatá andagui (bolinho de chuva), além da culinária de outras províncias e também comidas brasileiras.

Integração que, aliás, pode ser visto também no público. Criado com o objetivo de agradecer a sociedade brasileira, em especial os moradores da zona Leste, pela acolhida dada aos primeiros imigrantes, o Okinawa Festival ultrapassou fronteiras. “A região é a que concentra o maior número de okinawanos no Brasil e com o Okinawa Festival pretendemos retribuir levando entrenimento e cultura à comunidade local”, contam os organizadores, que solicitam aos visitantes que optem pelo transporte coletivo – há linhas regulares de ônibus saindo da estação Carrão do metrô

Fonte: http://www.portalnikkei.com.br/comunidade-okinawa-festival-retribui-acolhida-aos-primeiros-imigrantes-japoneses-na-zona-leste-de-sao-paulo/

Eu, Ricardo Nakase, terei a alegria de me apresentar em mais uma edição deste maravilhoso evento no dia 20/08 às 13:05h. Te espero lá!

15º Okinawa Festival
Quando: Dias 19 e 20 de agosto. Sábado, das 11 às 21h e domingo, das 11 às 20h
Onde: CEE Vicente Ítalo Feola (Praça Haroldo Daltro, s/nº – Vila Manchester)
Entrada franca (pede-se a contribuição com 1 kg de alimento nãom perecível)
Informações: www.okinawafestival.com.br

Lançamento! Ogasawara Ai - Piano/ Kokoro ni Saku Namonai Hana


Confiram o mais recente lançamento da cantora Ogasawara Ai, a canção "Piano", lançado em novembro de 2016. Lançado junto da canção "Kokoro ni Saku Namonai Hana", tema do TBS TV "Uwasano! Tokyo Magazine", a canção "Piano tem feito grande sucesso atualmente pela linda letra.



Evento! XII Noite dos Tambores Japoneses em Ibiuna(SP)


Palestra Beneficente Robert Wong em São Paulo!


Estamos realizando uma Palestra com o renomado Robert Wong, considerado pela The Economist um dos maiores headhunters (caça talentos) do mundo e pela Você S.A como um dos maiores palestrantes do Brasil. 

Ele vai falar sobre:
Empregabilidade em tempos de Crise, Carreira nos Tempos atuais, máquina x homem, novos desafios do executivo e do empreendedor moderno. 

A palestra é beneficente e organizada pelo Instituto Paulo Kobayashi e portanto o valor é mais em conta(a palestra corporativa dele custa no mercado mais de 1mil reais)por pessoa. 

Data : 31/08 Quinta feira
Local : Nikkey Palace Hotel
End. : R. Galvão Bueno, 425 Liberdade
Horário: 19:00
Valor: R$200,00

Em parceria com Team Saito estamos viabilizando um preço especial. Parte da arrecadação irá para a campanha do Team Saito participar do Mundial de Karatê. 

Maiores informações: https://www.facebook.com/SaitoBrothers/?ref=br_rs 

Preço promocional através do Team Saito para quem adquirir o convite até o dia 20/08!

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Evento! 43º Bazar Beneficente do Ikoi no Sono (SP)



Nos dias 19 e 20 de agosto acontece o 43º Bazar Beneficente do Ikoi no Sono, considerado o evento​ anual​ de maior arrecadação para a manutenção das suas atividades. Para entreter​ t​odo o público presente​ são várias as atrações!

A praça de alimentação instalada sob uma tenda de 900 m2 oferece todo o conforto e as delícias das cozinhas brasileira e japonesa, como yakissoba, tempurá, guiozá, sanmá, lamen, temaki, kare rice, obento, pastel, batata loka, churrasco, sonho, linguiça caseira, mini pizza, oshiruko, motitsuki, sanuki udon, pernil e muito mais!!!

Para as compras, ​disponibilizamos um amplo e confortável espaço bazarista onde todos encontrarão o melhor dos produtos nacionais e importados​, além de artesanatos dos idosos, frutas, verduras, legumes e flores.​

Já para as crianças, a diversão esta garantida no Espaço Criança com muitas atrações e brincadeiras. 
E o melhor disso tudo, é que toda ​arrecadação é revertida para que o Ikoi no Sono possa continuar cuidando dos oditian (vovôs) e obatian (vovós), proporcionando-lhes uma velhice digna e uma alta qualidade de vida.

Eu, Ricardo Nakase, farei uma apresentação muito especial no dia 19/08 às 13:25h e às 13:10h participarei da cerimônia de agradecimento "Kyuyu Saikai" junto de várias atrações que participarão do palco artistico ao longo do dia 19. 

O Bazar será realizado na rua Jardim de Repouso São Francisco, 881 – Guarulhos, no sábado, dia 19​ das 10 às 17 horas e no domingo​, dia 20​ das 9 às 17 horas.

Contribuição R$5,00 e concorra a uma TV.

Transporte R$10,00 saindo da Rua da Glória, 326, no bairro da Liberdade em São Paulo. Sábado: a partir das 9 horas até o meio-dia.
Domingo: a partir das 8 horas até às 11 horas.

Entrada franca para crianças até 8 anos, acompanhados dos pais/responsáveis e idosos acima de 65 anos.

Mais informações pelo telefone 3209-0215 |2480-1122

Doe seu Cupom Fiscal sem CPF

Você pode doar sem gastar nada e contribuir para a manutenção do Jardim de Repouso Ikoi-no-Sono que atualmente abriga 78 idosos dependentes e semi-dependentes.

Atenção: Os cupons tem validade até o 20º dia do mês seguinte da compra. Exemplo: cupons com data de compra do mês de Janeiro podem ser cadastrados até no máximo dia 20 de Fevereiro.

O seu CPF não pode constar no Cupom. No ato da compra não informe seu CPF nem o CNPJ da entidade.

Depois é só preencher conforme o tipo do cupom: 

Cupom Fiscal

Preencha os campos:
a) CNPJ do estabelecimento;
b) Data da Compra;
c) Código COO;
d) Valor Total da Compra.
Cupom SAT

Preencha o número chave (44 dígitos)
Nota Fiscal

Preencha os campos
a) CNPJ do estabelecimento;
b) Data da Compra;
c) Código COO;
d) Valor Total da Compra.

Festival Obon, o mais longo e importante evento religioso do Japão


De origem budista, o Festival Obon é um evento equivalente ao dia de finados no Brasil. Ele é o mais longo de todos os festivais no Japão e tem como finalidade homenagear os ancestrais. Acredita-se que, durante o festival, os espíritos dos antepassados retornam a este mundo para visitar seus parentes.

Tradicionalmente, lanternas são penduradas na frente das casas para guiar os espíritos dos antepassados de volta aos seus lares. Danças tradicionais são realizadas, mas a principal é a famosa “Bon Odori”. Os túmulos são visitados e oferendas de alimentos e flores são feitas em templos e altares montado nas residências, chamados de “Butsudan”.

No último dia do Festival Obon é realizada a cerimônia com lanternas flutuantes, que são depositadas em rios, lagos e mares, a fim de orientar os espíritos de volta para seu mundo.

O Festival compreende 3 dias, e é comemorado tradicionalmente a partir do 13 º ao 15 º dia do 7 º mês do ano, que é em julho, de acordo com o calendário solar . No entanto, o sétimo mês do ano também coincide com o mês de agosto, de acordo com o antigo calendário lunar, que são baseados no ciclo da lua, resultando em anos de doze meses e 29 ou 30 dias, portanto, os meses de celebrações do Festival Obon variam de região para região, apesar de que nos últimos anos, as comemorações têm predominado em agosto, para coincidir com o período das férias de verão.

Origem do Obon
Comemorado há mais de 500 anos, o Festival Obon é originário do budismo chinês, com intenção de salvar os mortos que não conseguem desencarnar. A celebração foi adotada pelos japoneses e tornou-se um evento para cultuar a memória dos antepassados.

Origem do Bon Odori
Um dos principais eventos do Festival Obon é uma dança folclórica, de participação coletiva e popular, chamada Bon Odori. Uma lenda contada no sutra “Urabon-kyô” fala de um monge zen, chamado Mokuen, que se destacava dos demais por ter uma poderosa visão transcendental. Mokuen se concentrava e, assim, seu espírito tanto podia viajar por mundos desconhecidos como ter a visão do que estava acontecendo em qualquer dimensão. O Urabon-kyô conta que a dança Bon Odori surgiu a partir de Mokuen, após ele dançar de felicidade por ter suas orações atendidas pelo sagrado Buda.

Cerimônia Toro Nagashi
No fim da tarde do último dia do festival é realizada a cerimônia Toro Nagashi, que consiste em depositar lanternas de papel (chouchin) em rios, lagos e mares.

Os participantes depositam lanternas flutuantes com o nome dos falecidos escritos nelas, com o intuito de homenagear as almas dos antepassados. Segundo a tradição, estas luzes mostram aos espíritos o caminho de retorno. É por isso que o último dia do festival é também conhecido como o “Festival das Lanternas”

A palavra “toro” significa “lanterna” e “nagashi” significa “cruzeiro ou fluxo”.

Chouchin (Lanternas de Papel)
O chouchin é feito de armação de bambu (de formato variado) coberto de papel ou de seda. Originalmente, era uma espécie de lanterna em que se colocava uma vela acesa em seu interior e era carregada na mão quando se saía à noite.

Entretanto, o chouchin do Festival Obon é diferente no formato. Tradicionalmente, as lanternas da cerimônia Toro Nagashi são pequenas e retangulares, além de possuir uma base que lhe permite flutuar sobre as águas.

Nos dias de hoje, devidamente adaptados às lâmpadas elétricas, os chouchin são largamente usados em quase todas as ocasiões festivas no Japão.

A lenda do Monge Mokuen e o Bon Odori
O sutra “Urabon-kyô” conta que Mokuen resolveu usar o seu poder para ver em qual plano astral encontrava-se o espírito de sua mãe, que havia morrido a pouco tempo. Como ela era uma pessoa muito bondosa, Mokuen imaginou que pudesse encontrá-la no Nirvana, mesmo local onde dizem ser a morada do Senhor Buda (o equivalente ao paraíso relatado na Bíblia Sagrada).

Entretanto, o monge ficou surpreso ao descobrir que sua mãe renascera na dimensão dos Gaki (demônios famintos). Os seres que habitam esse mundo são esfomeados e sofrem de eterna sede. Ao ver sua amada mãe naquela situação de penúria, Mokuen, que possuía o poder de fazer viagem astral, levou comida para ela. Porém, um fato inesperado aconteceu e aumentou o sofrimento de Mokuen: cada vez que a mãe colocava um pouco de comida, o alimento se transformava em fogo e queimava sua boca.

Durante uma oração prolongada, Mokuen pediu ao sagrado Buda que ajudasse a aliviar a dor e o sofrimento de sua mãe. Buda, então, ouviu suas orações e aconselhou Mokuen para no dia 15 de julho, manter todos os monges da localidade enclausurados dentro de um grande mosteiro com o objetivo de que eles ficassem pelo menos por um dia sem pisar nos pequenos insetos e nas flores.

No dia combinado, Mokuen chamou todos os monges da região para o grande mosteiro, dizendo que lhes ofereceria um grande banquete em homenagem à sua falecida mãe. Foi feita tanta comida que os monges passaram o dia inteiro comendo, bebendo e cantando, e ninguém se lembrou de sair do mosteiro. Quando o dia terminou, o espírito da mãe de Mokuen apareceu para transformada em um ser do 6º Plano Astral. Ela estava iluminada e tão leve que chegava a flutuar.

Ao ver sua mãe iluminada e flutuando como um chouchin (lanterna de papel) ao vento, Mokuen ficou tão feliz que começou a dançar de alegria.

Os monges, que estavam alegres de tanto comer e beber, gostaram da dança de Mokuen e saíram dançando atrás dele, acabando por formar uma grande roda que passou a simbolizar o círculo da felicidade. Assim surgiu o Bon Odori, como dança que faz homenagem ao espírito de pessoas falecidas.

Por Maria Rosa
Principais fontes de pesquisa
• Portal de Turismo Japan Guide
• Livro: Legends of Japan | Author: F. Hadland Davis
• Livro: Japan “Dictionary Culture and Civilization” | Autores: Frederic Louis David and Alvaro Iwang
• Dicionário Shogakukan: Dicionário Universal Japonês-Português | Autor: Jaime Coelho | Editora: Shogakukan

Fonte: http://mundo-nipo.com/cultura-japonesa/datas-festivas/04/08/2013/festival-obon-festival-de-homenagem-aos-mortos/

Lançamento! Mizmo - Obiyamachi Blues


Confiram o mais recente lançamento do Trio Mizmo (Mizumo), a canção "Obiyamachi Blues", com lançamento previsto para setembro de 2017. Este é o primeiro single deste trio formado pelas cantoras Okuzawa Nao, Yamanishi Akane e Miyazaki Kayoko que cantam no estilo enka/kayo. Este single foi lançado oirginalmente em 2013, e agora em 2017 está sendo relançado e divulgado amplamente na midia japonesa. Na sequência confiram o video clip da segunda canção do single entitulada "Kome", que curiosamente tem como sinônimo "USA". 





Evento! Show "Raizes" Grupo Aozora Daiko em Bragança Paulista(SP)